praerigidus

As to be, one cannot entirely be without letting be what one is.

XLV

Sou hoje aquilo que amanhã fui

XLIV

Somos ditados pelo que o hábito nos dita, personificados pelo costume de simplesmente ser, reflectir, ponderar , por fim interiorizar, para que somente hábito possamos ser.

XLIII

We live the past present within our future

XLII

In the advent of such moment, I find deeply comforting to become miscible within your most imperfect silhouettes.

XLI

A mais sublime decisão, acarreta todas as que se sucederão, em si se diliuem e mais que passado não serão.

XL

Que somos nós, que mais que tristes erros?

XXXIX

It is indeed enthralling how some have an everlasting way to revolve around one’s mind.

XXXVIII

Aleatoriedade, que outra razão terá tanta compaixão?
Se na aleatoriedade viver
Quanto de mim ficarei a conhecer?
Caberá ao aleatório revelar-me a razão
De tanto eu ser tanto eu que acabo por pensar
Se mais de mim quero exalar
Porta a porta terei de bater
Até um dia, alguém, serei eu? Responder.

 

XXXVII

Definições, porque são sensíveis ao mais rebelde raciocínio, que incomodado deambule por caminhos outrora sinuosos de difícil acesso sem hipótese de regresso, por que julgam vós que necessitaríamos de definir algo que por si mesmo se define em movimentos poeticamente sublimes e de orquestrada organização. Caso não faça qualquer sentido, ambíguo como o próprio sentido, aquilo que te cobre pouco sentido possui mas haverá algo mais real que a sua própria existência? E é na ausência de encandeamento que aos nossos olhos se revela, definida, por pontos unida, inacabada em incessante construção, pode ser sem qualquer dúvida uma bela metáfora para aquilo que somos, matéria inacabada, que mesmo depois de sucumbir nunca deixa de ser mutável até que em vagos pontos se torne, acabando por se unir a tantos outros momentos de construção, assim és, assim nos tomas, e por fim, assim nos deixarás, sem que de ti saiba mais do que qualquer outro eu que vivi.

XXXVI

Insuflado por ti sou
Perdido em cada traço teu
À deriva em ti encontro-me eu
Guardado em ti estou
Com intenção de permanecer
Até que nos faça renascer
Roubar ao tempo aquilo que de ti me privou.