praerigidus

As to be, one cannot entirely be without letting be what one is.

Month: January, 2018

Componentes de mentes III

Letargia que me asfixia,
De pescoço nu e à mercê,
Do que me consome e não se vê,
Quebrado num so-li-do de monotonia,
Unhas cravadas na carne do meu viver,
Entre gestos e gritos mudos de agonia

Advertisements

Componentes de mentes II

Reconhece a incapacidade de poder delinear uma estrutura que dê razão ao teu ser, por mais que queiras não serás capaz de o fazer, e por aí continuamos, presos na procura de justificações que façam valer uma consciência que nos possibilita a viver conscientes de uma realidade universal que nos toca a cada inspiração, incessante na sua vontade de se fazer crer. Estamos de facto limitados àquilo que a nossa estrutura sensorial nos permite apreender, vamos no entanto reconhecendo que aquilo que nos limita não passa de uma barreira virtual e invisível de fraca solidez, e que, pode por sua vez ser quebrada ao cultivarmos e abrirmos as portas pelas quais percorremos os meandros da percepção.

Entretantos I

Intermitente razão aquela que nos faz crer ser,
Despojados de motivos e valores que nos façam viver,
Semelhantes a seres desprovidos de um querer,
À mercê de uma força motriz que nos recusamos a ver.