praerigidus

As to be, one cannot entirely be without letting be what one is.

Componentes de mentes III

Letargia que me asfixia,
De pescoço nu e à mercê,
Do que me consome e não se vê,
Quebrado num so-li-do de monotonia,
Unhas cravadas na carne do meu viver,
Entre gestos e gritos mudos de agonia

Advertisements

Componentes de mentes II

Reconhece a incapacidade de poder delinear uma estrutura que dê razão ao teu ser, por mais que queiras não serás capaz de o fazer, e por aí continuamos, presos na procura de justificações que façam valer uma consciência que nos possibilita a viver conscientes de uma realidade universal que nos toca a cada inspiração, incessante na sua vontade de se fazer crer. Estamos de facto limitados àquilo que a nossa estrutura sensorial nos permite apreender, vamos no entanto reconhecendo que aquilo que nos limita não passa de uma barreira virtual e invisível de fraca solidez, e que, pode por sua vez ser quebrada ao cultivarmos e abrirmos as portas pelas quais percorremos os meandros da percepção.

Entretantos I

Intermitente razão aquela que nos faz crer ser,
Despojados de motivos e valores que nos façam viver,
Semelhantes a seres desprovidos de um querer,
À mercê de uma força motriz que nos recusamos a ver.

Interrogações I

Porque a cada fracção de momento somos confrontados com sulfurosos rasgos mentais, que nos paralisam de lés a lés, pondo em causa a nossa sanidade mental e que te levam para lá daquilo julgas que és. Lógico, real fosco e tosco, de aparência cabal, cabe-te a ti deslindar este paradoxo existencial.

Latente I

Atrevo-me a existir, a querer ser mais do que os contornos que me limitam, a fronteira que nos toca mas que não termina no limiar dos nossos sentidos, porque não me resumo simplesmente a um ser material, quero ser, ser existente, ser humano, ser vontade de me imiscuir  num ser que não apenas envolto em mim próprio mas inteiro em meu redor.

Chavascal III

Rasgos de pensamentos que me esfolam a consciência ao ponto de a alma sentir contorcer, espezinhada e anémica na sua vontade de ser.

Ouroborus I

Ad aternum free falling thoughts, steering between what’s wrong and what’s right, deep into the abyss of conscience.

Dialogues I

Conspiracy implies the existence of a truth in order to be manipulated, nevertheless I did never denied the existence of a soul provided with the ability to experience feelings or emotions for its own pleasure or decadence, in a world of ghosts we shall live, considering that we never touch our projections of a material consciousness,  which are ruled by energy impossible to touch or see, only able to experience and projects towards others our own sake.

Indivisível I

Porquanto será o pensamento divisível, porquanto será a sua divisão possível, hei-de um dia me perder por entre tentativas sucessivas, até que o mínimo divisor alcance, num instante e neste entretanto me relance na eterna divisão do ser.

Componentes de mentes I

Impressões mentais de sensações reais, surgem em nós como nos demais, que nos fazem ver, crer e apreender um universo de um só verso, nos entre tantos de comuns mortais, e que seremos nós mais que meros seres banais desprovidos de sentido e lógica aparente a baloiçar por entre componentes de mentes.